Regional de Limeira Acesse seu Webmail

Ex-presidentes

Confira o perfil dos ex-presidentes da Sede Central do Centro do Professorado Paulista (CPP).

Cymbelino de Freitas

CYMBELINO DE FREITAS

1930 – 1931

Um dos fundadores do CENTRO DO PROFESSORADO PAULISTA, foi sugestão dele o nome dado a essa associação.Os primeiros tempos de sua interina administração foram árduos e, à mercê dos acontecimentos, decisivos para o futuro da instituição. Assim, esperando tornar realidade o sonho dos professores de ter uma organização a seu serviço, e com a grata solidariedade e o devido apoio dos colegas de Diretoria e a indispensável ajuda das autoridades do ensino, trabalhou forte e com bom êxito na arregimentação de sócios em todo o território paulista; e contando com a compreensão e a anuência do Governo do Estado, conseguiu que a Fazenda descontasse em folha as mensalidades dos associados.Com tais ações e providências, o Professor Cymbelino legou ao seu sucessor uma entidade vigorosa e consolidada.No magistério estadual, seguiu toda a carreira, de professor de zona rural a inspetor escolar. Aposentado, e já desincumbido de presidir o CPP – onde despertou para o trabalho associativo -, ajudou a fundar a Associação Paulista de Belas Artes, que presidiu durante quase 25 anos.

Sud Mennuci

SUD MENNUCCI

1931 – 1948

Agente intelectual da criação do CPP, Sud concebeu a entidade idealisticamente, mas a presidiu de modo realista e prático, durante 17 anos dos sucessivos mandatos a ele outorgados. Na administração pública, foi Delegado Regional de Ensino e, em duas épocas distintas, Diretor Geral do Departamento de Educação – não obstante, e por menos de dez anos, tenha sido apenas professor-adjunto do magistério elementar. Jornalista qualificado e apaixonado defensor do ensino, lançou “A Crise Brasileira da Educação”, a sua maior e laureada obra, na qual propunha que ensino e professores para as crianças da zona rural fossem diferentes dos que eram dados para as da zona urbana; e, algum tempo depois, “O Pensamento de Alberto Torres”, seu inspirador na cruzada em defesa do ruralismo.   Em janeiro de 1931, assumiu em caráter efetivo a direção da Imprensa Oficial do Estado, que exerceu, com interrupções, até o fim da vida. Quinze dias depois, foi eleito Presidente do Centro do Professorado Paulista, tornado por ele a mais importante associação da classe dos professores de toda a América Latina. Faleceu durante o exercício do cargo.

 Genésio

GENÉSIO DE ALMEIDA MOURA

1948

Em virtude da vacância do cargo, pelo falecimento do titular, o Prof. Genésio ocupou a Presidência do CPP provisoriamente, por poucos meses, apenas para manter a estabilidade da instituição, a segurança do patrimônio e a firmeza de ânimo dos dirigentes e associados. Essa situação se deveu a que, embora fosse um dos fundadores, dos primeiros sócios e membro da Diretoria do Centro do Professorado Paulista, as suas responsabilidades e os seus encargos de Ministro do Tribunal de Contas do Estado e de catedrático da nossa mais prestigiosa escola superior de jurisprudência não permitiriam que se mantivesse por mais tempo no comando cepepista. A maneira autoconfiante, refinada e proficiente como deu boa conta da incumbência marcou a sua administração. Professor normalista e bacharel em Direito, atuou, no magistério, como docente, técnico de ensino e Diretor de renomado colégio da capital paulista, livre-docente e depois titular por concurso da cadeira de Direito Constitucional da Faculdade de Direito de São Paulo.

 Licínio Carpinelli

LICÍNIO CARPINELLI

1948 – 1949

Investido em caráter formal e efetivo na Presidência do Centro do Professorado Paulista, para completar os dois anos restantes de um mandato quadrienal interrompido duas vezes de modo terminativo. A gestão do Professor Licínio esteve o tempo quase todo voltada para a formação, na Procuradoria da entidade, de uma equipe permanente e apta de servidores do setor Expediente, especializada em cuidar dos múltiplos interesses funcionais dos associados. Acontecia, à época, que, estando concentradas na cidade de São Paulo as Secretarias de Estado e os departamentos a elas subordinados, onde se faz o procedimento e se guardam os documentos importantes, era grande a dificuldade dos professores de todo o interior paulista para pôr e manter em ordem a burocracia de sua vida profissional, do ingresso à aposentadoria. Professor normalista, exerceu no magistério primário todos os cargos, de docente a delegado regional de ensino. Noutra área, destacou-se como Diretor do Material da Secretaria de Educação.

 Arnaldo Laurindo

ARNALDO LAURINDO

1949 – 1952

Eleito Presidente num momento de calma, solidez e confiança para o CPP, quando prestígio, corpo associativo e finanças cresciam e favoreciam a consecução dos objetivos da entidade. Recebendo a instituição pronta para novos empreendimentos, e percebendo o anseio dos professores por um espaço à beira-mar que pudessem dispor livremente para entretenimento e repouso da fadiga escolar, o Professor Arnaldo Laurindo adquiriu um prédio em Mongaguá, Praia Grande, e nele implantou a primeira Colônia de Férias destinada aos associados e familiares. Esse ato inaugurou uma fase de realizações que haveria de perdurar ao longo dos anos. Ainda na sua administração garantiu a publicação e a distribuição da Revista do Professor e conseguiu a isenção de impostos para a recente Residência do Professor. Foi, no magistério oficial do Estado, professor e diretor de escolas primárias rurais e de estabelecimentos de ensino profissional, agrícola e industrial; na administração pública, Diretor Geral do Departamento do Ensino Profissional. Deputado estadual por várias legislaturas, devotou a sua vida parlamentar aos interesses da educação, do ensino e dos professores.

 Joaquim Silvério

JOAQUIM SILVÉRIO GOMES DOS REIS

1952 – 1957

A gestão do Professor Reis caracterizou-se pela ampliação e pelo aperfeiçoamento das ações desenvolvidas e providências tomadas, e dos serviços implantados e benefícios conseguidos por seus antecessores, em favor da associação e dos associados. A quantidade de sócios passou de 10.000; terminara a reforma da sede própria, que permitiu uma maior programação social; a contratação de mais profissionais da medicina e da advocacia agilizou e diversificou o atendimento nos departamentos médico e jurídico. Outrossim, prestigiou e apoiou materialmente a melhora progressiva da colônia de férias, a manutenção da Residência do Professor e a publicação e distribuição da Revista do Professor, criada em 1934 por Sud Mennucci. Tal qual os seus predecessores na presidência do CPP, diplomou-se por escola normal oficial tradicional. Daí que pôde exercer todos os cargos do magistério elementar, de professor-substituto de escola rural a delegado regional de ensino. Também deputado estadual, com uma mesma plataforma reivindicatória aplaudida pelo professorado.

 Sólon Borges

SÓLON BORGES DOS REIS

1957 – 1997

O mais conhecido, comentado e emblemático dos Presidentes do Centro do Professorado Paulista, isso porque esteve quatro décadas na liderança e no comando da instituição, mas também por causa do grande número e da diversidade de cargos que exerceu na condição de educador, parlamentar e dirigente de importantes órgãos públicos; das ações desenvolvidas como jornalista, rotariano e acadêmico; de missões as quais assumiu na circunstância de conferencista, organizador de certames e chefe de delegações educacionais e culturais, no Brasil e no Exterior.Normalista e bacharel em Pedagogia e Direito, com curso de Sociologia e Política, no magistério especificamente foi docente e diretor de escola primária, secundária e normal, e ainda lecionou no ensino superior.Na Presidência da entidade, administrou a construção do edifício da atual e principal sede da entidade; a instalação de uma sucursal na região central da capital paulista, de sedes regionais em 69 cidades do Estado e de mais 4 colônias de férias. Entre outras iniciativas, mudou o formato e o nome, aumentou a tiragem e a entrega do jornal de divulgação e publicidade do Centro do Professorado Paulista; assentou os alicerces de um Coral cepepista, e criou e instalou em sede própria o Instituto de Estudos Educacionais “Sud Mennucci”, que abriga a memória do CPP.Cumpre destacar que esses esforços físicos, intelectuais e morais estiveram de alguma forma e o tempo todo a serviço da educação do povo – somente o que, segundo o Professor Sólon -, “pode levar o Brasil a um grande destino”.

 Palmiro Mennuci

PALMIRO MENNUCCI

1997 – 2009

O mais entranhado e articulado personagem da história do Centro do Professorado Paulista, pois consagrou a sua vida profissional inteiramente à instituição, num trato diário com todos os presidentes, exceção do primeiro. Começou a trabalhar ainda adolescente, como mensageiro; com menos do que o dobro dessa idade já era o Diretor Geral Administrativo, função que exerceu até assumir a Presidência.Realizar o seu programa de trabalho “Sempre mais para o associado, a cada dia”, eis o traço distintivo da sua gestão.Antes mesmo da sua reeleição para o segundo mandato, o Professor Palmiro elevou para 88 o número de sedes interioranas e 8 o de colônia de férias, e efetuou reformas ou reparos nas 69 e 5 preexistentes à sua administração; na Capital, criou e instalou 5 subsedes nas regiões norte, sul, leste, centro-leste e oeste; fundou em prédios próprios e colocou em operação uma Clínica médica polivalente, um Clube recreativo-esportivo e um Alojamento rotativo exclusivo para sócios vindos do Interior; pôs a funcionar num recinto da principal casa administrativa e noutro da sucursal respectivamente uma Farmácia e uma Central de cursos artísticos e culturais, ambos sem fins lucrativos; manteve e dinamizou o Coral “Mestras Cantoras” e o Instituto de Estudos Educacionais.

 

presidente José Maria Cancelliero

José Maria Cancelliero

2009 – (Atual presidente)

O atual presidente do Centro do Professorado Paulista é José Maria Cancelliero, natural de Piracicaba. Zé Maria, como é mais conhecido, tem um histórico de vida dedicado à educação e aos interesses do professor. É licenciado em Pedagogia, ingressou carreira no Magistério como professor primário e passou por todos os cargos possíveis na carreira. É conselheiro do CPP e atua na militância da entidade há mais de 50 anos.

Assumiu a presidência no dia 12 de abril de 2009 e preside a entidade até os dias atuais.